top of page

América Central nas férias de julho

Enfim vamos fincar um pin na América Central. Partimos com o nosso vôo da Copa que nos permitiu longas escalas na ida e na volta no Panamá, isso foi bom, tivemos a oportunidade de conhecer a Cidade do Panamá.


Foram 18 dias em 5 países da América Central, sendo a metade na Costa Rica.


Aqui vamos falar da primeira metade: Panamá, Guatemala, El Salvador e Honduras

Falaremos da Costa Rica em outro post.



PANAMÁ

Alugamos pela Europcar um carro para percorrer a Cidade do Panamá, aterrissamo por volta das 7h e até sairmos do aeroporto já havia bastante trânsito em direção ao centro, então fomos primeiro ver o Canal do Panamá. Não fizemos a visita tradicional ao centro turístico do Mirador de Miraflores, apenas o Mirador Pedro Miguel, e pudemos ver os navios passando pelas eclusas.



Dali seguimos para a reserva do cerro Ancon, mas foi impossível estacionar para podermos caminhar pelo cerro então atravessamos a linda ponte de las Américas para a vista do outro lado do canal. Em seguida, dirigimos para a Amador Caseway uma avenida extensa que dá vista ao canal e ao horizonte de arranha-céus da cidade. Na volta demos uma parada no lindo Biomuseu, mas não o visitamos.



Fomos então percorrer o Casco viejo, mas não tivemos tempo para visitar o museu do canal, foi uma visita breve. Almoçamos por ali em um charmoso restaurante. Estava um dia muito quente, a caminhada ficou cansativa. Antes de retornar ao aeroporto, rodamos pela Cinta costera e tiramos fotos nos letreiros do parador. Já saindo do centro, na direção do aeroporto, passamos pelas ruínas do Panamá viejo, mas também não visitamos.



GUATEMALA

Chegamos na cidade da Guatemala tarde. O aeroporto é bem centrico e pegamos uma pousada que era 5min de caminhada do aeroporto e também da Agência ACE onde alugamos o carro. A experiência do aluguel, que prometia ser a mais barata e bem mais barata, ao fim tiveram diversos extras que deve ter ficado na mesma. Haviamos alugado um compacto, levamos uma pick-up toyota. Pagamos dobrado as taxas de cruzar fronteira e outros excessos, mas enfim, foi tudo perfeito em nossa rota.


A pousadinha aconchegante vale recomendar, Hostal Villa Toscana pelo booking.com


Dia seguinte partimos para Antigua mas direto ao vulcão Pacaya que subimos de cavalos e assamos marshmellows nas rochas quentes do vulcão. Será que foi a primeira vez que subimos um vulcão? Parece que sim.



Seguimos para Antígua onde aproveitamos o restante do dia para percorrer suas lindas ruas coloridas e animadas e aproveitar uma linda noite de lua cheia. Ficamos no Hotel Las Farolas e super recomendamos.



De Antígua partimos para o lago Atitlán. Optamos por não ficar em Panajachel que é maior cidade do lago, mas chegamos ao lago pela cidade de San Marcos la Laguna, onde almoçamos no hotel El Dragon com um piscina e bela vista ao lago. Após o almoço ensolarado o tempo virou e pegamos o barco que nos levaria a Santa Cruz la laguna debaixo de uma tempestade. Betina aproveitou a chuva. Ali pernoitamos em um quarto bacaninha do Hostel La iguana perdida. Muito badalado pegamos uma festinha e churrasco na noite de lua do sábado, mas existe outras opções bacaninhas e mais tranquilas ali em Santa Cruz, ou até mesmo em San Marcos que é uma vila maior.



No dia seguinte a paisagem após a tempestade era de calmaria e percebemos quão pitoresco era aquele lugar. O sol apareceu forte e pudemos aproveitar um SUP e mergulhos pelo lago, uma delícia!


Então partimos para Chichicastenago, era domingo dia de mercado e este é o mais importante mercado da Guatemala, sem dúvida uma visita intensa na cultura e gastromia local.



Retornamos a Antígua para conseguir explorar mais um pouco da bela cidade, no dia seguinte subimos ao Cerro de la Cruz para uma bela vista da cidade e do vulcão Água. Ficou um pouco corrido para explorar todos os cantinhos de Antigua, seria necessário mais um dia para conhecer alguns cantinhos não visitados. Recomendamos também o Luna de Miel, que nem conseguimos entrar de tão cheio, e o El viejo café. Há diversos restaurantes e cafés muito interessantes em Antígua.



Partimos então rumo a El Salvador.


Voltando de Honduras, pernoitamos na Cidade da Guatemala em nossa pousadinha colada no aeroporto pois iamos madrugar no dia seguinte para um bate-volta de avião rumo a cidade de Flores para visitarmos as ruinas de Tikal. Compramos passagens na TAG - Transportes Aéreos Guatemaltecos e alugamos um carro no aeroporto, de ultima hora para nos deslocar até Tikal e depois a Flores.



Estava um calor absurdo e a mamãe ainda mal. Percorremos as ruinas sem muita energia para subir suas pirâmides, mas foi incrível que lugar mágico. Depois retornamos a Flores onde descobrimos uma linda ilha com casinhas coloridas, bons restaurantes e cafés, mas um calor intenso!





EL SALVADOR

Cruzamos a fronteira para El Salvador pela Aduana Frontera Valle Nuevo. Foi super tranquilo e o oficial muito amável, nenhum procedimento aduaneiro apenas uma conversa rápida com o oficial dentro do carro mesmo.


Dali seguimos para percorrer a Ruta de las Flores onde pouco encontramos pelo caminho, apenas a colorida cidade de Ataco com suas lojinhas de artesanato e lindos murais.



Dali continuamos até o lago de Coatepeque onde almoçamos no badalado e belo visual restaurante La Pampa. Depois fomos percorrer o lago. Difícil encontrar um acesso ao lago, que fica cercado por restaurantes que seria interessanttes para aproveitar um banho e passar o dia, mas não deu tempo. Dali contornamos o lago, subimos até chegar a base dos vulcões Illamatepec e Sant'Anna onde pernoitamos em nossos iglus do Hotel Finca Campo Bello.



No dia seguinte acordamos bem cedindo para subir o vulcão Santana, só a Betina pois a Marina amarelou. Uma trilha fácil, subida, mas super ok, mas que precisa contratar um guia e pagar entradas no parque que agenciamos lá mesmo na entrada da trilha.



Depois do cume alcançado partimos rumo a cidade de Santa Ana onde almoçamos antes de pegar estrada cruzar fronteira de volta a Guatemala e então cruzar novamente a fronteira com Honduras.


HONDURAS

Chegamos a Copan a noite e a mamãe passando muito mal e também chovia bastante. Ficamos num hotel central, barato e ótimo o Acrópoles Maya e nem pudemos percorrer a pequena e charmosa cidade. Visitamos as ruínas de Copan no dia seguinte partimos de volta a longa estrada de volta a Guatemala e a cidade da Guatemala.




Commentaires


bottom of page